Opinião

Paulo Afonso - Bahia - 11/10/2017

Desabafo/denuncia: A política dos bons costumes

Edson Lucena
Divulgação
Edson Lucena
Edson Lucena

Porque o idiota sou eu, que faço obra e contrato papa-entulho, contrato carroceiro, mando limpar a frente das obras que realizo. Só nesse ano já estou na terceira obra, sem descartar nada em áreas indevidas, mas enquanto isso, sigo vivendo num mundo que é só meu, pois para os demais, a maioria, diria, a prática é outra.

Esse registro é da Vila Nobre, onde diariamente são descartados lixo, entulho, restos de gesso de uma fábrica da região, etc.

"Ah, mas você reclama demais."

Reclamo e seguirei reclamando, pois a população necessita de um mínimo de senso de cidadania, de responsabilidade, de respeito para com o todo. Não posso enxergar algo à minha porta, ou à de quem quiser que seja, e simplesmente me calar por uma questão da cultura do comodismo, do "deixa pra lá".

Precisamos, enquanto cidadãos, entender a importância de cuidar de tudo o que está ao nosso redor, de tratar o ambiente em que vivemos, como se de fato fosse a nossa casa, até porque, sim, a nossa cidade é a nossa casa, e desta devemos nós, os "donos", manter a ordem, as boas práticas.

E já que a cultura é a do conformismo, a de não querer reclamar para não incomodar aquele que lhe incomoda, permitam que alguém o faça, pois sem esses, o que será do pouco que nos resta?

Esqueçam o poder público! O poder emana de vocês! Vocês são o poder! Façamos a nossa parte! Assim teremos alguma moral para cobrar algo do executivo ou do legislativo. Do contrário, "seremos apenas ratos" reclamando do cheiro de esgoto.

* Um desabafo/denuncia contra a falta de educação de uma parcela da população que muito reclama dos serviços, mas pouco coloca em prática os bons costumes.

 


Busca



Enquete

Quem você gostaria de assistir no aniversário do CPA este ano?







Votar Resultado
Adiquirindo resultado parcial. Por favor aguarde...


Todos os direitos reservados