Opinião

Paulo Afonso - Bahia - 03/08/2017

Viver da fé, só não se sabe fé em que!

Por: Luiz Brito DRT 3.913 - luizbritoradialista
Reprodução

O povo de Paulo Afonso, está acostumado a eleger políticos de fora, principalmente deputados. É só observar quantas cidades da região norte cresceram política e administrativamente nos últimos 20 anos. Respondo, nenhuma. Noutro cenário, vemos cidades como Canindé de São Francisco e Itabaiana, ambas no Estado de Sergipe em pleno desenvolvimento, enquanto Paulo Afonso (BA) parou no tempo e na história, servindo de escada para políticos que nada sabem das necessidades locais.

Outro grande fiasco vem das Câmaras de Vereadores com alguns parlamentares até de primeiro mandato, se lançando pré-candidatos à Assembleia Legislativa em 2018.  Deveriam ser mais inteligentes. Sugiro que alguns deles permaneçam até o fim do mandato e logo em seguida procurem o INSS. Mirem-se no exemplo daqueles que foram eleitos sem nenhum lastro e por isso mesmo não tiveram sucesso nas urnas estacionando no primeiro mandato. Muitos deles, a população sequer lembra. Alguns desses, outrora autoridades e hoje ilustres desconhecidos, após sucessivas derrotas ficaram desiludidos com a política e largaram a vida pública.

Paulo Afonso é conhecida pela pulverização de seus votos. Além da quantidade de nomes que são levados às urnas, o município enfrenta ainda o problema dos conhecidos candidatos forasteiros, aqueles que não são de Paulo Afonso, mas sempre se apresentam como candidatos apoiados pela população. Muitos deles acabam levando votos dos eleitores prejudicando a eleição de deputados locais.


Busca



Enquete

Quem Administraria Melhor o Brasil em 2018?











Votar Resultado
Adiquirindo resultado parcial. Por favor aguarde...


Todos os direitos reservados