Política

Paulo Afonso - Bahia - 22/11/2021

Querem se apropriar das verbas federais, reage Marconi Daniel ao denunciar manobra da Prefeitura para beneficiar a Saúde

Assessoria de Comunicação
. Foto: Assessoria de Comunicação
Vereador Marconi Daniel (Podemos), durante discurso nesta segunda-feira, 22, na CMPA
Vereador Marconi Daniel (Podemos), durante discurso nesta segunda-feira, 22, na CMPA

Nesta segunda-feira, 22, o vereador Marconi Daniel (PODEMOS) durante sessão ordinária classificou como “crime” o projeto de lei relacionado a dotação orçamentária envolvendo a secretaria  de Saúde do município.

De acordo com o vereador: “a questão da dotação orçamentária que veio de R$ 16 milhões está tirando o direito do professor. Cerca de R$ 990 mil para fazer uma locação para outra secretaria. O professor nessa pandemia não teve dinheiro nem um celular com condições para fazer aula online e até hoje sequer foi pago uma sessão de terapia para os professores que adquiriram estresse e depressão na pandemia. Nem direito a uma internet descente tiveram, muito pelo contrário, tiveram que trabalhar com o seu celular próprio. As aulas voltaram e colocaram os professores em risco e no final das contas, depois de tanto sofrimento, vem um projeto para tirar os R$ 900 mil do professor, um direito adquirido, isso é um crime, absurdo, falta de respeito”, afirmou Marconi.

O parlamentar relembrou todo o dinheiro destinado a Saúde na pandemia e reafirmou que a prefeitura precisa explicar para onde foi o dinheiro público. “Parece que querem pegar as verbas federais. Enquanto isso a saúde estava e continua um caos. Mesmo com toda a receita dos 98 milhões aprovados. Faltam insumos, remédios, médicos. Isso não existe. Digo e repito é uma pegadinha o que estamos vivendo. A conta não fecha”, denunciou.

Marconi foi enfático ao afirmar que: “podemos falar sobre qualquer coisa da pandemia, mas falta de dinheiro não teve. Não me venha dizer que esses R$ 16 milhões de reais é para pagar a folha dos servidores que eu rebato. É mentira. A verdade é que faltou planejamento da prefeitura e agora querem esses R$ 16 milhões para tapar o buraco da gestão do ano passado. E a CPI será que virou balcão de negócio que não sai? Eu fiz a minha parte. Queremos mais transparência do dinheiro público”, destacou.

O vereador finalizou questionando que: “depois de todo esse montante que a Saúde teve, querem revogar uma lei que estabelece o pagamento de hora extra dos servidores da saúde. Muito contraditório. Eu não compactuo com isso. Fora que as secretarias municipais vão ficar sem recursos até dezembro para repassar verba para a Saúde. Injusto. O povo de Paulo Afonso merece explicações sobre onde foi parar o dinheiro da Saúde”, finaliza.


Últimas

1 até 20 de 7744   Próximo »   Último »
Busca



Enquete

Qual das seguintes opções você acha que a Administração Municipal deve ter como prioridade no município?








Votar Resultado
Adiquirindo resultado parcial. Por favor aguarde...


Todos os direitos reservados