Esporte

Paulo Afonso - Bahia - 16/11/2017

Grêmio marca no fim e vence Lanús pela Libertadores

ivan.marques@redebahia.com.br
(Nelson Almeida/AFP)
Cícero sai correndo com Everton e Geromel para comemorar gol do Grêmio
Cícero sai correndo com Everton e Geromel para comemorar gol do Grêmio

Se o Bahia estava esperando um sinal para lutar ainda mais por uma vaga na Libertadores, ele veio. Numa jogada dos ex-tricolores Jael e Cícero, o Grêmio marcou o único gol de sua vitória, nesta quarta (22), contra o Lanús, pela ida da final da competição continental. 

A volta será na próxima quarta (29), em Buenos Aires, e o tricolor gaúcho joga por um empate. Caso seja campeão, abre mais uma vaga para a Libertadores de 2018 na Série A.

O jogo começou com as duas equipes se estudando, mas os argentinos eram melhor com a bola no pé. O primeiro chute só veio aos 17 minutos, com Luan, mas passou longe do gol de Andrada. O goleiro argentino, por sinal, além de demorar na reposição, mostrava pouca intimidade com a bola no pé. Por duas vezes, tocou mal. Mas Ramiro e Arthur não aproveitaram as bobeadas.

Do lado gaúcho, Marcelo Grohe mostrou porque sua fase é espetacular. Salvou o time da casa em duas ocasiões. Aos 33, Martínez chutou cruzado e o goleiro espalmou. Seis minutos depois, Braghieri cabeceou pra baixo e Grohe operou um milagre na arena. 

No final da primeira etapa, os gaúchos ainda reclamaram de pênalti em Ramiro, em lande que o jogador foi levemente empurrado. O juiz não marcou e nem mesmo pediu ajuda ao árbitro de vídeo.

Pressão
O Grêmio voltou para o 2º tempo de forma diferente. Como geralmente costuma se comportar, os gaúchos passaram a atuar mais no campo ofensivo, pressionando o rival para sua própria área. Os laterais tiveram as primeiras oportunidades. Edílson, de falta, assustou. Cortez, de longe, fez Andrada trabalhar. 

Sem conseguir entrar na área do Lanús, Renato Gaúcho resolveu mexer. Primeiro, colocou o talismã Everton para tentar quebrar a linha argentina na habilidade. Sem resultado, apelou para a força aérea, com Cícero e Jael no jogo.

O volante, cria da base do Bahia, tentou uma de cabeça, mas foi por cima. Na sequência, Jael, também ex-jogador do Esquadrão, bateu de longe, mas Andrada pegou. 

A dupla mostrou que Renato estava certo. Aos 37, após recuperação de bola, Edílson lançou de longe, Jael tocou de cabeça e Cícero abriu o placar. A festa foi tamanha que o jogo teve que ser parado por conta da fumaça dos sinalizadores. Só deu tempo para os gremistas pediram outro pênalti, desta vez em Jael, novamente ignorado pela arbitragem. 
 


Últimas

1 até 20 de 292   Próximo »   Último »
Busca



Enquete

Quem Administraria Melhor o Brasil em 2018?











Votar Resultado
Adiquirindo resultado parcial. Por favor aguarde...


Todos os direitos reservados